Anote na Agenda

Programação Festival Palhaçada 2010

19/03
II Fórum Goiano de Artes Circenses
Debate: Corpo, Arte do Circo e Educação Física - Encontros e Desencontros
Convidado: Marco Bortolleto (UNICAMP)
Horário: 9h as 11h
Local: UEG - Faculdade de Educação Física (Antiga ESEFEGO)


II Fórum Goiano de Artes Circenses
Debate: O Circo Social como Instrumento de Emancipação
Convidado: Cléia Silveira (Rede Circo do Mundo)
Horário: 15h as 17h
Local: PUC Goiás (Auditório Área 1)


Espetáculo de Variedades Circenses
Famílias, Grupos e Trupes Goianas
Horário: 21h
Local: Circo Lahetô (Pq. da Criança, ao lado do Serra Dourada)


20/03
Espetáculo O Circo, A Luneta e o Planeta
Sapequinha Trupe Show (GO)
Horário: 17h
Local: Parque Flamboyant (Avenida H, Jardim Goiás)


Espetáculo Histórias de Goiás no Picadeiro
Escola de Circo Lahetô
Horário: 21h
Local: Circo Lahetô (Pq. da Criança, ao lado do Serra Dourada)


21/03
Espetáculo Chiquinha Fofoqueira
Zabriskie Teatro (GO)
Horário:17h
Local: Jardim Botânico(Entre a Alameda do Contorno e a Avenida Botânico)




Espetáculo A Peleja do Cérebro com o Coração
Clube da Folia (GO)
Horário: 19h30
Local: Centro Cultural Martim Cererê (Rua 94-A, Setor Sul)



Espetáculo Tchesco, O Sensacional
Palhaço Tchesco (RJ)
Horário: 21h
Local: Centro Cultural Martim Cererê (Rua 94-A, Setor Sul)


22/03
Oficina: Patetas, idiotas e estúpidos - a sabedoria do erro!
Ministrante: Alice Viveiro de Castro (RJ)
Horário: 8h30 as 12h30
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL


Oficina:Bufão
Ministrante: Daniela Carmona (Cia do Giro, RS)
Horário: 14h30 as 18h30
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL


23/03
Oficina: Patetas, idiotas e estúpidos - a sabedoria do erro!
Ministrante: Alice Viveiro de Castro (RJ)
Horário: 8h30 as 12h30
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL


Oficina:Bufão
Ministrante: Daniela Carmona (Cia do Giro, RS)
Horário: 14h30 as 18h30
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL


24/03
Oficina: Patetas, idiotas e estúpidos - a sabedoria do erro!
Ministrante: Alice Viveiro de Castro (RJ)
Horário: 8h30 as 12h30
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL


Oficina:Bufão
Ministrante: Daniela Carmona (Cia do Giro, RS)
Horário: 14h30 as 18h30
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL


25/03
Oficina: Patetas, idiotas e estúpidos - a sabedoria do erro!
Ministrante: Alice Viveiro de Castro (RJ)
Horário: 8h30 as 12h30
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL


Oficina:Bufão
Ministrante: Daniela Carmona (Cia do Giro, RS)
Horário: 14h30 as 18h30
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL


Espetáculo O Circo
Escola de Circo Martim Cererê (GO)
Horário: 21h
Local: Centro Cultural Martim Cererê (Rua 94-A, Setor Sul)


26/03
Oficina: Patetas, idiotas e estúpidos - a sabedoria do erro!
Ministrante: Alice Viveiro de Castro (RJ)
Horário: 8h30 as 12h30
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL


Espetáculo Coleções
Palhaço Muzzarela (RJ)
Horário: 21h
Local:Centro Cultural Martim Cererê (Rua 94-A, Setor Sul)


27/03
Oficina: Oficina de Orientação Pontual
Ministrante: Doutores da Alegria (SP)
Horário: 9h as 18h
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL


Espetáculo Gueto Bufo
Cia do Giro (RS)
Horário: 19h30
Local: Centro Cultural Martim Cererê (Rua 94-A, Setor Sul)


Espetáculo Semi Breve
Las Cabaças (PA)
Horário: 21h
Local: Centro Cultural Martim Cererê (Rua 94-A, Setor Sul)


28/03
Oficina: Oficina de Orientação Pontual
Ministrante: Doutores da Alegria (SP)
Horário: 9h as 18h
Local: Compassos Studio de dança - Rua C 116 com C 124 Jardim America, Proximo ao CEPAL

Uma aventura pela Bolívia

Foto: Daniella Barbosa

Quem nunca pensou em sair viajando por aí com uma mochila nas costas disposto a enfrentar as agruras e os prazeres de um país e uma cultura desconhecidos? É isso o que faz a então estudante de Jornalismo Daniella Barbosa, outros doze alunos da Universidade Federal de Goiás (UFG) e o professor Nilton José dos Reis Rocha no livro “Expedição BraBo – uma trajetória de 15 dias por terras Bolivianas”.
Daniella Barbosa conta no livro a trajetória dos estudantes entre os dois países, bem como o choque cultural, os pequenos prazeres da viagem e as grandes aprendizagens. É muito interessante ler sobre os efeitos do soroche (mal estar causado pela mudança de altitude), o uso medicinal da folha da coca pelos bolivianos e também sobre o teatro local.
Nesse relato a viajante de alma vai desvendando também o que é ser boliviano. Descobrimos a cada momento como o sentimento nacionalista toma conta desse povo, como quando um homem na feira se ofende ao ver um brasileiro carregando a bandeira boliviana sobre os ombros ou quando a autora conta que até mesmo as crianças param para ver os pronunciamentos do presidente Evo Morales na TV. Mas também vemos claramente a divisão de classes, quando ricos e pobres não se misturam durante um churrasco.
Não dá para esquecer da Feira 16 de julho, onde, segundo a viajante, se vende de tudo “de pregos usados a vasos sanitários”. Mas o livro peca ao não explorar mais a greve dos trabalhadores do transporte e os momentos de tensão passados pelos brasileiros, com direito a intervenção do Exército e rumores de um golpe de Estado contra Evo Morales. O tema poderia render boas páginas.
Para quem quer conhecer um pouco da Bolívia ou apenas saber o que se passou naqueles dias de 2006, “Expedição BraBo – uma trajetória de 15 dias por terras Bolivianas” é uma boa pedida.

Quem se interessou pelo livro no próximo dia 13 de março, às 19 horas haverá uma noite de autógrafos na Livraria Nobel do Shopping Bougainville.

Conersas fílmicas - parte 7

Quero ser John Malkovich



por Mayara Vila Boa

Já pensou se você pudesse viver a história do personagem de um filme ou livro? Ou então ser aquela atriz famosa, ou ainda o presidente da república e quem sabe um milionário? Quem nunca pensou em ser outra pessoa?
E é sobre esse desejo que é feita a trama de “Quero ser John Malkovich” (Being John Malkovich, 1999). O manipulador de marionetes Craig Schwartz (John Cusack) descobre no sétimo andar e meio de um prédio um portal para a mente de John Malcovich (John Gavin Malkovich).
Pelo portal, qualquer um pode passar 15 minutos dentro da mente do famoso astro do cinema. Schwartz e a colega de trabalho Maxine (Catherine Keener) decidem então explorar o achado. Eles começam a cobrar 200 dólares para quem quiser ser John Malcovich.
Mas as coisas fogem do controle quando a mulher de Schwartz, Lotte (Cameron Diaz), descobre ser homossexual ao experimentar as sensações de Malkovich. Ela se apaixona por Maxine. E as duas se encontram sempre que Lotte entra na mente do ator.
Mas o manipulador de bonecos que também se apaixona por Maxine decide trancar a mulher em uma jaula e ser Malkovich/Lotte. É aí que ele descobre que como titereiro ele pode controlar muito bem o ator. Schwartz passa então a ser Malkovich todo o tempo. Mas o que ele não contava é que outra pessoa tinha planos para o “recipiente” Malkovich.
É um filme interessante, que fala dos desejos das pessoas, das neuroses e é claro, daquilo que todos nós escondemos lá no fundo de nossas mentes. Quem nunca se encontrou em outro alguém? Quem nunca quis se perder por aí?
Destaque para a perseguição de Lotte e Maxine dentro do inconsciente de Malkovich, com todos os traumas aparecendo enquanto elas correm dentro da mente dele.


Comentários José Aurélio:

Em primeiro lugar, fico feliz que tenha gostado. A loucura do filme é muito cômica mas também muito desafiadora, na medida em que exercita nossa capacidade de abstração. Situações absurdas como a de quando o próprio John Malcovick entra em si mesmo requerem não só imaginação, mas uma boa dose de concentração, uma vez que é fácil se perder dentro do roteiro. Infelizmente, a possibilidade de deixar de conviver com nós mesmos não existe. Sendo assim Mayara, não poderia ajudá-la, a não ser lhe indicando mais filmes do gênero. Dessa forma, mesmo que pelo tempo de duração do longa metragem, nos desligamos da nossa realidade e temos a oportunidade de relaxar, esquecendo o quão chatos às vezes podemos ser aos nossos próprios olhos.

    Quem vos escreve

    Minha foto
    Goiânia, Goiás, Brazil
    Jornalista por formação, especialista em Filosofia da Arte. Trabalho em TV, mas sempre ligada ao Jornalismo Cultural, com ênfase em Teatro e Cinema.

    Seguidores