Curral – uma conversa reveladora



Um político conhecido e sua filha em uma conversa reveladora, essa é a trama de “Curral”, do Coletivo Teatro da Terra. A peça, inspirada em "Asfalto Selvagem", de Nelson Rodrigues conta a história de uma jovem que descobre que está grávida do próprio irmão.
Uma mulher bonita, a mais bonita de toda a vizinhança, aquela a quem até mesmo o pai não resistiu e a espiou nua enquanto tomava banho e que foi escolher logo o primo para se apaixonar. Deixou o noivo, ficou grávida, mas o que ela não sabia é que na verdade cometia um incesto.
Uma conversa tensa, difícil, regada a charutos, bebida e muita água na cara. No palco há um balde de água que representa as lágrimas e os desejos concretizados ou não de morte e espancamento. É com um pano molhado que a jovem leva uma surra do pai e é também no balde que ele tenta afogá-la. E ao final ela descobre que se conhece o que é solidão em contato com os outros.
O espetáculo é plasticamente muito bonito, desenhado com fumaça de charuto, com um cenário adornado apenas com três travesseiros pendurados ao fundo, cadeiras e cavaletes no palco, e, é claro, o balde d’água. Os atores se vestem como que para uma festa. A trilha sonora é feita ao vivo pelos atores.

Textos e imagens desse blog só podem ser publicados e/ou utilizados em outros locais com autorização da autora.
1 Response

    Quem vos escreve

    Minha foto
    Goiânia, Goiás, Brazil
    Jornalista por formação, especialista em Filosofia da Arte. Trabalho em TV, mas sempre ligada ao Jornalismo Cultural, com ênfase em Teatro e Cinema.

    Seguidores